Quinta-feira, 27 Outubro 2011 20: 21

Estudo de caso: Comunicação de perigo: a folha de dados de segurança química ou a folha de dados de segurança do material (MSDS)

Classifique este artigo
(6 votos)

Uma abordagem sistemática à segurança requer um fluxo eficiente de informações dos fornecedores para os usuários de produtos químicos sobre perigos potenciais e precauções de segurança corretas. Ao abordar a necessidade de um programa de comunicação de riscos por escrito, o Código de Práticas de Segurança no Uso de Produtos Químicos no Trabalho da OIT (ILO 1993) afirma: “O fornecedor deve fornecer ao empregador informações essenciais sobre produtos químicos perigosos na forma de uma ficha de segurança química Ficha de dados." Esta folha de dados de segurança química ou folha de dados de segurança do material (MSDS) descreve os perigos de um material e fornece instruções sobre como o material pode ser manuseado, usado e armazenado com segurança. MSDSs são produzidos pelo fabricante ou importador de produtos perigosos. O fabricante deve fornecer MSDSs aos distribuidores e outros clientes na primeira compra de um produto perigoso e se o MSDS mudar. Os distribuidores de produtos químicos perigosos devem fornecer automaticamente MSDSs para clientes comerciais. De acordo com o Código de Prática da OIT, os trabalhadores e seus representantes devem ter direito a uma MSDS e receber informações por escrito em formulários ou idiomas de fácil compreensão. Como algumas das informações necessárias podem ser destinadas a especialistas, mais esclarecimentos podem ser necessários por parte do empregador. A FISPQ é apenas uma fonte de informação sobre um material e, portanto, é melhor utilizada junto com boletins técnicos, rótulos, treinamentos e outras comunicações.

Os requisitos para um programa de comunicação de perigo por escrito são descritos em pelo menos três importantes diretrizes internacionais: o padrão de comunicação de perigos da administração de saúde e segurança ocupacional dos EUA (OSHA), o sistema de informações sobre materiais perigosos no local de trabalho do Canadá (WHMIS) e a diretiva 91/155 da Comissão da Comunidade Européia. /EEC. Nas três diretivas, são estabelecidos os requisitos para a preparação de uma MSDS completa. Os critérios para as fichas de dados incluem informações sobre a identidade do produto químico, seu fornecedor, classificação, perigos, precauções de segurança e os procedimentos de emergência relevantes. A discussão a seguir detalha o tipo de informação necessária incluída no Código de Práticas de Segurança no Uso de Produtos Químicos no Trabalho de 1992 da OIT. Embora o Código não pretenda substituir as leis, regulamentações ou padrões nacionais aceitos, suas recomendações práticas destinam-se a todos aqueles que têm a responsabilidade de garantir o uso seguro de produtos químicos no local de trabalho.

A seguinte descrição do conteúdo da folha de dados de segurança química corresponde à seção 5.3 do Código:

As fichas de dados de segurança química para produtos químicos perigosos devem fornecer informações sobre a identidade do produto químico, seu fornecedor, classificação, perigos, precauções de segurança e os procedimentos de emergência relevantes.

As informações a incluir devem ser as estabelecidas pela autoridade competente para a área em que se situam as instalações do empregador, ou por um organismo aprovado ou reconhecido por essa autoridade competente. Detalhes do tipo de informação que deve ser exigida são fornecidos abaixo.

(a) Identificação do produto químico e da empresa

O nome deve ser o mesmo usado no rótulo do produto químico perigoso, que pode ser o nome químico convencional ou um nome comercial comumente usado. Nomes adicionais podem ser usados ​​se ajudarem na identificação. O nome completo, endereço e número de telefone do fornecedor devem ser incluídos. Também deve ser fornecido um número de telefone de emergência, para contato em caso de emergência. Este número pode ser o da própria empresa ou de um órgão consultivo reconhecido, desde que seja sempre possível contactá-los.

(b) Informações sobre os ingredientes (composição)

As informações devem permitir que os empregadores identifiquem claramente os riscos associados a um determinado produto químico para que possam realizar uma avaliação de risco, conforme descrito na seção 6.2 (Procedimentos para avaliação) deste código. Detalhes completos da composição devem normalmente ser fornecidos, mas podem não ser necessários se os riscos puderem ser avaliados adequadamente. O seguinte deve ser fornecido, exceto quando o nome ou a concentração de um ingrediente em uma mistura for uma informação confidencial que possa ser omitida de acordo com a seção 2.6:

  1. uma descrição dos principais componentes, incluindo sua natureza química;
  2. a identidade e as concentrações de componentes perigosos para a segurança e a saúde
  3. a identidade e concentração máxima a ser encontrada de componentes que estão na concentração ou excedem a concentração em que são classificados como perigosos para a segurança e a saúde em listas aprovadas ou reconhecidas pela autoridade competente, ou que são proibidos em concentrações superiores pela autoridade competente autoridade.

 

(c) Identificação do perigo

Os perigos mais importantes, incluindo os perigos mais significativos para a saúde, físicos e ambientais, devem ser declarados de forma clara e resumida, como uma visão geral de emergência. As informações devem ser compatíveis com as apresentadas no rótulo.

(d) Medidas de primeiros socorros

As medidas de primeiros socorros e auto-ajuda devem ser explicadas cuidadosamente. As situações em que é necessária atenção médica imediata devem ser descritas e as medidas necessárias indicadas. Quando apropriado, deve ser enfatizada a necessidade de providências especiais para tratamento específico e imediato.

(e) Medidas de combate a incêndios

Devem ser incluídos os requisitos para combater um incêndio envolvendo um produto químico; por exemplo:

  1. agentes extintores adequados;
  2. agentes extintores que não devem ser utilizados por razões de segurança;
  3. equipamento de proteção especial para bombeiros.

Devem também ser dadas informações sobre as propriedades do produto químico em caso de incêndio e sobre os riscos especiais de exposição resultantes dos produtos da combustão, bem como as precauções a tomar.

(f) Medidas de liberação acidental

Devem ser fornecidas informações sobre a ação a ser tomada em caso de liberação acidental do produto químico. As informações devem incluir:

  1. precauções de saúde e segurança: remoção de fontes de ignição, fornecimento de ventilação suficiente, fornecimento de equipamento de proteção individual adequado;
  2. precauções ambientais: manter-se afastado de esgotos, necessidade de alertar os serviços de emergência e eventual necessidade de alertar a vizinhança imediata em caso de risco iminente;
  3. métodos de segurança e limpeza: uso de materiais absorventes adequados, evitando a produção de gases/vapores pela água ou outro diluente, uso de agentes neutralizantes adequados;
  4. advertências: desaconselham ações perigosas razoavelmente previsíveis.

 

(g) Manuseio e armazenamento

Devem ser fornecidas informações sobre as condições recomendadas pelo fornecedor para armazenamento e manuseio seguros, incluindo:

  1. projeto e localização de armazéns ou embarcações;
  2. separação de locais de trabalho e edifícios ocupados;
  3. Materiais incompatíveis;
  4. condições de armazenamento (por exemplo, temperatura e umidade, evitar a luz solar);
  5. evitar fontes de ignição, incluindo disposições específicas para evitar o acúmulo de estática;
  6. fornecimento de ventilação local e geral;
  7. métodos de trabalho recomendados e os que devem ser evitados.

 

(h) Controles de exposição e proteção individual

Devem ser fornecidas informações sobre a necessidade de equipamentos de proteção individual durante o uso de um produto químico e sobre o tipo de equipamento que fornece proteção adequada e adequada. Quando apropriado, deve ser lembrado que os controles primários devem ser fornecidos pelo projeto e instalação de qualquer equipamento usado e por outras medidas de engenharia, e informações fornecidas sobre práticas úteis para minimizar a exposição dos trabalhadores. Parâmetros de controle específicos, como limites de exposição ou padrões biológicos, devem ser fornecidos, juntamente com os procedimentos de monitoramento recomendados.

(i) Propriedades físicas e químicas

Deve ser feita uma breve descrição da aparência do produto químico, seja sólido, líquido ou gasoso, e sua cor e odor. Certas características e propriedades, se conhecidas, devem ser fornecidas, especificando a natureza do teste para determiná-las em cada caso. Os testes usados ​​devem estar de acordo com as leis e critérios nacionais aplicáveis ​​no local de trabalho do empregador e, na ausência de leis ou critérios nacionais, os critérios de teste do país exportador devem ser usados ​​como orientação. A extensão das informações fornecidas deve ser apropriada ao uso do produto químico. Exemplos de outros dados úteis incluem:

  • viscosidade
  • ponto de congelamento/intervalo de congelamento
  • ponto de ebulição/intervalo de ebulição
  • ponto de fusão/intervalo de fusão
  • ponto de inflamação
  • temperatura de autoignição
  • propriedades explosivas
  • propriedades oxidantes
  • pressão de vapor
  • peso molecular
  • gravidade específica ou densidade
  • pH
  • solubilidade
  • coeficiente de partição (água/n-octano)
  • parâmetros como a densidade do vapor
  • miscibilidade
  • taxa de evaporação e condutividade.

 

(j) Estabilidade e reatividade

A possibilidade de reações perigosas sob certas condições deve ser declarada. Devem ser indicadas as condições a evitar, tais como:

  1. condições físicas (por exemplo, temperatura, pressão, luz, choque, contato com umidade ou ar);
  2. proximidade de outros produtos químicos (por exemplo, ácidos, bases, agentes oxidantes ou qualquer outra substância específica que possa causar uma reação perigosa).

Onde produtos de decomposição perigosos são liberados, estes devem ser especificados juntamente com as precauções necessárias.

(k) Informações toxicológicas

Esta seção deve fornecer informações sobre os efeitos no corpo e sobre as possíveis vias de entrada no corpo. Deve ser feita referência aos efeitos agudos, tanto imediatos como retardados, e aos efeitos crónicos da exposição de curta e longa duração. Também deve ser feita referência aos riscos à saúde resultantes de possíveis reações com outros produtos químicos, incluindo quaisquer interações conhecidas, por exemplo, resultantes do uso de medicamentos, tabaco e álcool.

(l) Informações ecológicas

Devem ser descritas as características mais importantes susceptíveis de afectar o ambiente. As informações detalhadas necessárias dependerão das leis e práticas nacionais aplicáveis ​​no local de trabalho do empregador. As informações típicas que devem ser fornecidas, quando apropriado, incluem as possíveis rotas de liberação do produto químico que são motivo de preocupação, sua persistência e degradabilidade, potencial de bioacumulação e toxicidade aquática e outros dados relacionados à ecotoxicidade (por exemplo, efeitos em obras de tratamento de água) .

(m) Considerações sobre descarte

Métodos seguros de descarte do produto químico e de embalagens contaminadas, que podem conter resíduos de produtos químicos perigosos, devem ser fornecidos. Os empregadores devem ser lembrados de que pode haver leis e práticas nacionais sobre o assunto.

(n) Informações de transporte

Devem ser dadas informações sobre precauções especiais que os empregadores devem conhecer ou tomar durante o transporte do produto químico dentro ou fora de suas instalações. Informações relevantes fornecidas nas Recomendações das Nações Unidas sobre o Transporte de Mercadorias Perigosas e em outros acordos internacionais também podem ser incluídas.

(o) Informações regulamentares

As informações necessárias para a marcação e rotulagem do produto químico devem ser fornecidas aqui. As regulamentações ou práticas nacionais específicas aplicáveis ​​ao usuário devem ser consultadas. Os empregadores devem ser lembrados de consultar os requisitos das leis e práticas nacionais.

(p) Outras informações

Devem ser incluídas outras informações que possam ser importantes para a saúde e segurança dos trabalhadores. Exemplos são conselhos de treinamento, usos e restrições recomendados, referências e fontes de dados importantes para compilar a ficha de dados de segurança química, o ponto de contato técnico e a data de emissão da ficha.

 

Voltar

Leia 11673 vezes Última modificação em terça-feira, 08 de novembro de 2011 00:12

" ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: A OIT não se responsabiliza pelo conteúdo apresentado neste portal da Web em qualquer idioma que não seja o inglês, que é o idioma usado para a produção inicial e revisão por pares do conteúdo original. Algumas estatísticas não foram atualizadas desde a produção da 4ª edição da Enciclopédia (1998)."

Conteúdo

Usando, armazenando e transportando referências de produtos químicos

Conferência Americana de Higienistas Industriais Governamentais (ACGIH), Comitê de Ventilação Industrial. 1992. Ventilação Industrial: Um Manual de Práticas Recomendadas. 22ª ed. Cincinnati, OH: ACGIH.

American National Standards Institute (ANSI) e American Industrial Hygiene Association (AIHA). 1993. Laboratório de Ventilação. Padrão Z9.5. Fairfax, VA: AIHA.

BG-Sistema de Medição de Substâncias Perigosas (BGMG). 1995. Hauptverband der gewerblichen Berufsgenossenschaften. Sankt Augustin: BGMG.

Burgess, WA, MJ Ellenbecker e RD Treitman. 1989. Ventilação para Controle do Ambiente de Trabalho. Nova York: John Wiley and Sons.

Engelhard, H, H Heberer, H Kersting e R Stamm. 1994. Arbeitsmedizinische Informationen aus der Zentralen Stoff- und Productdatenbank ZeSP der gewerblichen Berufsgenossenschaften. Arbeitsmedizin, Sozialmedizin, Umweltmedizin. 29(3S):136-142.

Organização Internacional do Trabalho (OIT). 1993. Segurança no Uso de Produtos Químicos no Trabalho. Um Código de Prática da OIT. Genebra: OIT.

Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA). 1993. Norma de Saúde e Segurança; Exposição ocupacional a substâncias perigosas em laboratórios. Cadastro Federal. 51(42):22660-22684.